sexta-feira, 5 de abril de 2013


Misturas
Minha garganta anda ferida, hoje de manhã passou por ela um litro de ácido. Meu estômago assemelha-se a uma bomba relógio e agora vejo um filme sobre a violência do cotidiano real – que tem assustado um pouco. Pra completar, chegarão, muito em breve, os meus vinte e cinco anos de existência mundana e arraigadamente sentível.  É parar pra pensar e não lamentar nada, mesmo o medo todo que chega com o passar dos dias e dos acontecimentos naturais dessa loucura chamada vida. Mudar é preciso, navegar é preciso, viver é preciso.

2 comentários:

Sampaio disse...

Já é um hominho, huum!!

Larissa Nütz disse...

um quarto de século parece pouco, mas deve assustar mesmo.