segunda-feira, 10 de setembro de 2012


Mènage à trois

Perdi a virgindade com um livro. O engraçado é que quando aconteceu eu tinha apenas 12 anos. O ciclo vicioso e sexual durou por volta de uma semana,cheia de seus sabores e intensidades esperadas. Porém o que mais me preocupa é o fato de hoje, mesmo depois de tê-lo procurado em todas as esquinas e até bares, nas mãos de alguns, não mais soube de seu paradeiro, deve ter me esquecido ou já estar nos braços de vários outros recém adolescentes. Procurei tanto, para quem sabe, uma segunda desvirginação, mas rastro algum foi descoberto. Hoje esqueci parcialmente dessa loucura e vivo nos braços de todos os gêneros: sou de todos e dos vários. Agora, em especial, ando dormindo com 3 ao mesmo tempo e tem sido gostoso demais.

2 comentários:

vinicius goncalves disse...

Ao ler sua recorrência, lembrei-me disso:

"Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.

Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.

Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.

E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti..."

Mario Quintana

Larissa disse...

Volte ou não, o que importa é que não faltem livros pra nos perdermos e amarmos sem pensar no amanhã.