terça-feira, 9 de junho de 2009

À insônia


Não sei o que me acontece (ou minto, sei-o bem), pois estou dormindo cada vez mais tarde. A insônia Literalmente tem batido todos os dias na porta de meu quarto. Vai ver ela também precisa de uma companhia para se sentir melhor nesses tempos de chuva.

Então Insônia, se aproxime, vamos beber leite com chocolate com alguns biscoitinhos de leite, vamos ler Bastante, bastante e bastante Clarice Lispector; pense junto comigo, vamos e venha mais vezes.

Um comentário:

fellipeernesto disse...

Cara... Pelos primeiros textos seus que li e este último´, parece-me visível seu amadurecimento poético (ainda que em prosa). Conhecendo-te, sei o quanto Clarice tem uma influência em seu apreço pela escrita (e leitura), mas, quando você escreve, não está sendo uma Clarice, e sim um escritor que vai se formando. Um NOVO, por assim deixar claro.
Prossiga-o à formação. Tenho gostado dos últimos textos.